Desafios de conviver com o diagnóstico e adesão ao tratamento

Júlia Araújo, presidente da Associação do Leste Mineiro de Portadores de DII (ALEMDII) lembrou que o tema do Maio Roxo em 2019 foi ‘Tornar o invisível visível’, porque somente assim será possível ter uma convivência melhor com as doenças inflamatórias intestinais e com a sociedade. Algumas pessoas ficam desesperadas quando recebem o diagnóstico, enquanto outras se sentem aliviadas, pois estão sofrendo com os sintomas há anos e, a partir desse diagnóstico, poderão ser finalmente tratadas. Estudos indicam que há várias fases para aceitação de uma doença crônica pelos pacientes, que começa com a negação, passa pela raiva, entra na fase da negociação com a doença e, muitas vezes, acaba em depressão. Só a partir da fase da aceitação é que o paciente vai entender que a doença não está contra ele, mas ‘com ele’ e, assim, poderá conviver melhor com a enfermidade e com todos os desafios que surgirão, inclusive os fatores externos, incluindo a dificuldade de acesso ao tratamento.