Coronavírus (Covid-19) e doenças inflamatórias intestinais

A farmacêutica Alessandra de Souza, do Blog Farmale, fez uma palestra a respeito da covid-19 e os riscos para pacientes com DII. Como a doença é nova, não há informações específicas sobre pacientes com DII infectados, tanto que os médicos estão solicitando para que os casos sejam sempre reportados – até o dia 5 de maio havia 400 pessoas com doença inflamatória intestinal com confirmação de covid-19 no mundo. O novo coronavírus faz parte de uma família de vírus que causam infecções respiratórias e foi descoberto em dezembro de 2019, na China. Como a transmissão ocorre pelo ar, por contato pessoal e secreções contaminadas, o melhor a fazer é seguir as orientações das autoridades de saúde para evitar o contágio. As ações de cuidado e prevenção, além de diminuírem o risco de infecção pelo coronavírus, vão ajudar a reduzir o risco de outras doenças comuns em pacientes com DII, como a infecção por Candida albicans, por exemplo. Entre as orientações estão lavar bem as mãos e limpar as unhas a cada 20 minutos e, quando não for possível, passar álcool 70%; não ter contato com pessoas doentes; evitar tocar nariz, olhos e boca; manter a vacinação contra a gripe em dia e avisar o médico em caso de febre, tosse ou dificuldade para respirar.