Coluna de cólon

O Roacutan provoca DII?

O The American Journal of Gastroenterology, o respeitado jornal americano sobre assuntos de Gastro­en­te­rologia, veiculou uma notícia que, além de causar sur­presa entre os médicos desta especialidade, pode ter assus­tado alguns pacientes que têm problemas de acne na pele. O que tem a ver uma coisa com a outra? Segundo o jornal, a isotretinoina, o princípio ativo de medicamentos como o Roacutan, que é contra a acne, poderia estar causando sintomas de doenças infla­ma­tórias intestinais nos pacientes. Como mostra a matéria, mais de 80 casos de DII foram associados à isotre­ti­noina, mas nada foi confirmado. O Dr. Mário Grinblat, que é médico dermatologista do Hospital Israelita Albert Einstein, costuma indicar o Roacutan para seus pacientes e nunca teve queixas sobre o seu uso. “Sou um entusiasta do Roacutan que, além de agir contra a acne, eli­­mi­­nando a secreção sebácea da pele nos casos mais graves, também pode ser indicado para quem quer eliminar rugas ou sinais de velhice e eu nunca ouvi falar que este medicamento pudesse causar sintomas de doenças inflamatórias intestinais”, diz o Dr. Grinblat. Pelo sim, pelo não, o Laboratório Roche, fabricante do Roacutan, agiu rápido na defesa deste medicamento, através de comunicado ao mercado em que diz que não concorda com o resultado do processo envolvendo o americano que ganhou a indenização de 2,6 milhões de dólares da Roche Holding, nos EUA, e que irá recorrer da decisão, pois a causa da inflamação permanece desconhecida e não há evidências científicas que comprovem que o medicamento causou a doença. Vamos aguardar...

Humira para a colite ulcerativa

Mal acabou de ser aprovado, inclusive no Brasil, para o tratamento da doença de Crohn, já há estudos para a indicação do Adalimumabe, o princípio ativo do Humira, para pacientes de colite ulcerativa que já não respondem ao tratamento com Infliximabe, o Remi­cade, ou são intolerantes a este medicamento. Um grupo de médicos franceses do Hospital Universitário de Nancy-Brabois reuniu um grupo de 10 pacientes com este quadro que, durante um mês, receberam doses de Humira. Os resultados, porém, confirmaram a necessi­dade de se fazer mais estudos e novos testes com este medicamento. Da mesma forma que o Remicade foi apro­vado primeiro para a doença de Crohn e depois, para colite ulcerativa será que isso vai acontecer com o Humira? Os pacientes não podem desanimar...

Alívio dos sintomas da colite ulcerativa

O Dr. James D. Lewis, professor do Centro da Clínica de Epidemiologia e Bioestatística da Universidade da Pensilvânia, na Filadélfia, apresentou um estudo na último Congresso sobre Doenças do Aparelho Digestivo, o DDW, realizado em maio, envolvendo 105 pacientes que apresentavam colite ulcerativa, ora com crises constantes ora com intolerância à terapia com 5-ASA, que durante 12 semanas tomaram doses diárias de 4 mg de Rosiglitazone, um medicamento que geralmente é indicado para obter o aumento de insulina em pacientes diabéticos. “Depois de um mês nós notamos uma resposta clínica nos pacientes e casos de efeitos colaterais foram raros”, comemorou o Dr. Lewis. Pelos resultados obtidos, além de o Rosiglitazone reduzir os sintomas da colite ulcerativa, este medicamento possibilitou uma melhor qualidade de vida dos pacientes. Por outro lado, um jornal inglês de medicina, o The England Journal of Medicine, mostrou uma matéria relatando que o Rosiglitazone aumenta os riscos de enfarte do miocárdio em 43%. O FDA já entrou em cena para investigar estes dados, mas, enquanto não se chega a uma conclusão, o remédio permanece no mercado. Vamos ficar de olho...